terça-feira, outubro 17, 2006

Algo só é impossível até que alguém duvida disso e acaba provando o contrário!

"A privacidade entendida como liberdade para conduzir a própria vida, segundo normas não sujeitas ao escrutínio público, exige pelo menos alguns momentos de intimidade prévios ou posteriores a eventuais exposições da vida privada ao olhar do outro anônimo. Sem intimidade a privacidade perde o sentido, pois sua matéria-prima, a invenção individual de estilos de vida, é imediatamente socializada, tornando-se 'um tipo', 'uma espécie' generalizável a mais de um".

Um comentário:

Jean Piter disse...

Oi Marina!
Lembra de mim?
Não estou mais na copasa, então, faz tempo que não nos vemor.
Bom te ver por aqui.
Temos uma possibilidade a mais de contato.
Boa sorte pra ti e tua banda
um abraço